Saec - Cuidando de quem precisa. Melhorando a vida de todo mundo.

História


Maria Felipe faz jus ao nome que tem. Como na música de Milton Nascimento, é daquele tipo que ri quando deve chorar, que traz na pele a marca do sofrimento, mas não perde a "estranha mania de ter fé na vida". A trajetória de luta social começou na década de 1970, nas comunidades eclesiásticas do Jardim Ângela, periferia da zona sul de São Paulo. Maria ajudou a criar um clube de mães local, que exigia do poder público melhores condições para creches, escolas, postos de saúde, transporte, entre outros.

Movimento contra a Carestia

Em 1975, o grupo de mães no qual Maria atuava participou da criação do Movimento contra a Carestia (termo que indica falta de bens essenciais à sobrevivência). O grupo protestava contra o alto custo de vida e o congelamento dos salários na época da ditadura. Naquele primeiro ano, o movimento reuniu 5 mil pessoas em São Paulo. Mais tarde, em 1978, foram recolhidas 1 milhão e meio de assinaturas em um abaixo-assinado enviado à Presidência da República. O documento exigia que os preços dos itens básicos fossem congelados e que houvesse aumento de salário. As assembleias eram monitoradas à distância pelo Dops, órgão de repressão na época. Maria e suas companheiras sabiam do risco que corriam por levantar a voz, mas isso não as impediu de continuar. O Movimento contra a Carestia teve repercussão dentro e fora do Brasil.

Movimento de Moradia

Em 1979, Maria e o marido, Ivo, ajudaram a fundar o Movimento de Moradia. Uma organização de pessoas que reivindicava a urbanização das favelas no Jardim Ângela. O grupo dedicava o tempo livre para construir casas no esquema de mutirão. Entre as conquistas está a criação do Parque Europa I e II, com mais de 1200 apartamentos construídos parte por empreiteira contratada pela prefeitura e parte por mutirão. O movimento tirou famílias de áreas de risco e deu casa própria a muitos que sofriam para pagar aluguel, melhorando suas vidas.

Santo Dias

Naquele mesmo ano de 1979, os militantes da região sofreram um baque. A perda de Santo Dias, assassinado pela polícia durante um protesto. Santo era amigo da família e aclamado pelos participantes do movimento. Em vez de calar a voz de seus companheiros, a morte causou o efeito contrário. Atiçou ainda mais os ânimos. O regime militar entrava em fase de decadência, até chegar ao fim em 1985.


Desejando fazer mais pela comunidade, um grupo de amigos, incluindo a Maria da nossa história, fundou a Sociedade Amiga e Esportiva do Jardim Copacabana (Saec) no ano de 1982. O objetivo era conseguir apoio do poder público para oferecer melhores serviços à população.


A primeira parceria com a prefeitura aconteceu em 1989, dando origem ao atual Centro para Crianças e Adolescentes (CCA), em funcionamento até hoje. Mais de 30 anos depois, a ONG é referência na assistência social de São Paulo. Dona Maria e Seu Ivo, não mais casados, participam do conselho fiscal.

A história é de todos

A trajetória da Saec é contada aqui sob a perspectiva de Maria Felipe, tida como figura icônica na instituição e querida por todos. Mas muito mais gente participou de sua construção. Dezenas de pessoas, tão responsáveis quanto ela pelo legado da entidade. Tantos nomes que é impossível lembrar um a um, pelos quais a atual equipe tem imensa gratidão.

Edson, filho do casal, trabalha na Saec como coordenador. Outros membros da família e amigos estão presentes apoiando ou trabalhando na entidade, movidos pela mesma indignação e generosidade que levaram Ivo e Maria a dar início a esta história anos atrás. Ficamos felizes em dizer que entre os nossos 500 funcionários existem aqueles que estão conosco há décadas.

Nova fase

Em 2009, a Saec passou por uma grande ampliação. Até então, mantinha três convênios com a prefeitura. Todos realizados na sede, à Rua Antônio Victor de Oliveira, no Jardim Copacabana. A partir daquele ano foram firmados mais 19 convênios, totalizando 22 no primeiro semestre de 2014.

Por meio dos serviços, atendemos crianças, adolescentes, jovens, adultos, idosos e famílias carentes. Conheça todos em Projetos.

Hoje, novos e antigos funcionários se unem para colocar a Saec entre as melhores organizações do terceiro setor em São Paulo.

Por meio dos serviços, atendemos crianças, adolescentes, jovens, adultos, idosos e famílias carentes. Conheça todos em Faça parte dessa história, colabore como puder.